Categoria : Vindo da gente

Meu quintal produtivo

Meu quintal produtivo, opção de vida e alegria” trata-se de um Vídeo Participativo criado e produzido por um grupo de mulheres, migrantes da cidade de Cochabamba, que nunca teve uma experiência anterior de produção audiovisual.

A participação na oficina de vídeo deu-lhes o acesso a conhecimentos fundamentais para criar o seu próprio roteiro, usando a combinação entre o formato-guia tradicional e o storyboard. Elas também obtiveram noções básicas de como lidar com câmera digital e edição.

A produção grupal desenvolvida por elas, não é apenas um exemplo de como as pessoas podem se envolver em iniciativas da comunidade, mas também evidencia o efeito positivo que traz a apropriação coletiva dos meios tecnológicos de comunicação. Léer más

Procurar um lugar… e construir uma comunidade

Mulheres chefes de família, que viviam de aluguel e em condições precárias, encontram na comunidade Maria Auxiliadora uma nova maneira de “viver juntos”.

Obra mujeres 1011897_474840129270747_521649434_nUma parcela em propriedade coletiva e comunitária, funcionando com princípios de ajuda mútua e de autogestão, onde mil famílias podem viver juntas… Isso já não é um sonho para um grupo de 6 mulheres que, 15 anos atrás, iniciaram um projeto alternativo para mulheres que sofrem violência.

A comunidade Maria Auxiliadora é mais do que uma resposta ao problema de moradia. Léer más

Transformar seu modo de produção para transformar o meio ambiente

Vídeo participativo contando o percurso de uma família que mudou sua maneira de produzir

Tapa Totora 140916

Este vídeo foi realizado por três moradores da comunidade de Loma Larga, em Totora, Bolivia . Ele mostra, como a mudança dos modos de produção de uma família camponesa se reflete hoje em dia de maneira positiva e concreta na paisagem e no meio ambiente. Com o apoio da Paróquia de Totora, vários moradores de Loma Larga – entre os quais a família Muñoz – estão experimentando modos de produção mais respeitosos do meio ambiente e também se alimentando de maneira mais saudável. Léer más

Vivendo em comunidade… María Auxiliadora, Cochabamba, Bolivia

Um vídeo participativo que narra a origem do projeto de construção de uma comunidade participativa e as dificuldades que acompanharam sua evolução.

Tapa Ma Auxiliadora 140915

Esse vídeo mostra o ponto de vista de jovens que moram na Comunidade María Auxiliadora, na periferia de Cochabamba, e para os quais viver em comunidade num meio urbano significa defender valores tradicionais como o respeito e a ajuda mútua.

O filme narra a origem da comunidade, fruto da iniciativa de uma mulher corajosa que se deu como objetivo de facilitar para outras mulheres o acesso à casa própria. Léer más

Organizar-se para transformar a sociedade

É possível sonhar com novas formas de vida em comum num contexto difícil como o que se vive atualmente em Honduras ?

Logo Arco

As famílias que fazem parte da organização ARCO (Associação Regional de Comunidades Organizadas) acreditam que sim e desenvolvem um projeto que influência 14 comunidades do departamento de Santa Bárbara, em Honduras.

Além de animar uma dinâmica permanente de intercâmbio entre as famílias, baseada numa espiritualidade cristã muito prática, a organização promove a formação de 50 jovens através da escola de promotores voluntários e colabora com outras entidades que defendem os direitos da comunidade e lutam contra um sistema econômico que gera desigualdades. Léer más

O que se passa com a Mãe Terra ?

Um vídeo participativo que mostra como jovens e mulheres reagem à presença de uma mina no município de Oruro, na Bolívia

Tapa Oruro 140905

Partindo de uma comovente recordação de infância de uma jovem de Oruro, o vídeo relata como a presença da mina afeta a vida quotidiana dos moradores dessa comunidade. O vídeo transmite a dimensão pessoal e cultural da convivência com uma mina que há vários séculos contamina o meio ambiente. Ele destaca ainda as consequências devastadoras da exploração dos recursos naturais por empresas privadas que não fazem nenhum esforço para contribuir ao desenvolvimento sustentável do município. Léer más