Categoria : Mensagens ao futuro

O desenvolvimento “mal” entendido como lógica de acumulação perpétua e como crescimento econômico, tem contribuído para o empobrecimento das maiorias sociais, bem como com a depredação dos recursos naturais, tão limitados no planeta. Esta situação impõe uma “mudança de rumo” e uma mensagem urgente para a consciência humana. MENSAGENS AO FUTURO é um espaço que busca evidenciar práticas vivenciadas por pessoas que nos ajudam a caminhar na direção da transformação. É uma tentativa de explicitar, através da linguagem virtual, que o conhecimento de pessoas inovadoras que vivenciam experiências cotidianas na sua realidade local, possa comunicar mensagens que podem influenciar positivamente em outras comunidades e servirem de inspiração para mudanças de valores e práticas.

PUKYU PAMBA vivência intercultural (Equador)

Turismo experiencial ou experiência intercultural, praticados por empreendimentos familiares e associativos, permitem a comunidade Karanquis de San Clemente, ao norte dos Andes equatorianos, viajar pelo mundo, estando em casa; e ao mesmo tempo, gerar renda que beneficie o coletivo.

O visitante não é um mero observador superficial da paisagem, mas experimenta uma vivência intra e com a cultura, o lugar, o povo e a cosmovisão andina.

Para ter acesso ao documento

Pessoa para contato da experiência: Manuel Guatemal (email)

Comunidade San Clemente: página web • pessoa de contato: Susan Engel (email) Léer más

Do lixo à economia colaborativa: uma experiência sem perdedor (Peru)

Uma iniciativa, no combate à epidemia de cólera e detritos ao entorno, no começo com um enfoque empresarial, obteve na zona oeste de Lima, sua transformação em um empreendimento coletivo, com uma visão voltada para a economia colaborativa, gerando benefícios ambiental, social e econômico. Uma história onde ninguém perde.

Para ter acesso ao documento

Pessoas para contato da experiência: Mary Nieto (email) e Antonio Zambrano MOCICC (email)

MOCICC: página web Léer más

De qual desenvolvimento estamos falando?

A experiência do território indígena Tacana II e sua forma de organização, no coração da Amazônia boliviana, é um testemunho fiel de possibilidades em defesa de sua visão de desenvolvimento contrapondo às ameaças do extrativismo. É uma resistência com o diálogo propositivo, fazendo valer seus direitos, negociando a coexistência com diferentes lógicas de desenvolvimento.

Para ter acesso ao documento

Pessoas para contato da experiência: Mario Paniagua (email) e Alcides Vadillo (email) Léer más

Caminho no território de solidariedade (Colômbia)

As províncias Guanentá, Comunera e Vélez, ao sul do departamento de Santander – Colômbia, promovem um processo em que o planejamento sócio-organizacional de seus habitantes e a economia solidária, no formato de cooperativas, buscaram marcar a história contemporânea de sua região, rompendo paradigmas, como por exemplo: através de um sistema econômico financeiro gerenciado por cooperativas populares, de pessoas e para as pessoas; e a construção de um território solidário com uma lógica de desenvolvimento que parte da realidade local, da identidade e cultura de seus habitantes. Léer más

Em nome do progresso ou da reivindicação a ser levada em consideração (Peru)

 

“Nunca negamos a construção do trem, porém não ao preço do desenraizamento” fala Margarita Monforte, presidente da Associação Quinta Virgen del Carmen do Quinto Patio, diante do processo de luta de quarenta famílias no centro de Lima para fazer valer seus direitos frente o megaprojeto do trem elétrico como meio de transporte de massa na capital peruana.

Para ter acesso ao documento

Pessoa para contato da experiência: Margarita Monforte (email)

CIDAP:  Samuel Yáñez (email) e Katia Morales (email) Léer más

mARTadero ambiente vital do futuro (Bolívia)

O que começou com a recuperação do Ex-matadouro municipal de Cochabamba, convertendo um lugar de morte em um centro de vida cultural diferenciado, hoje é uma experiência de referência para a cultura e desenvolvimento. Cultura não como distração, mas como elemento contextualizado, onde a inteligência criativa e o trabalho colaborativo abrem trajetórias para “o futuro que queremos”, construindo narrativas próprias e libertando-se de caminhos e pensamentos adquiridos.

Para ter acesso ao documento

mARTadero: página web Léer más