Desenvolvimento 3.0 – Por uma prática mais coerente

Imagen texto Steve

Baseados em suas experiências de vários anos como cooperantes, Myriam Paredes y Stephen Sherwood nos apresentam sua análise do impacto dos programas de cooperação em meio rural. Hoje em dia os autores participam de processos sociais como ativistas e professores universitários morando numa fazenda ecológica no Equador. Através de artigos publicados na revista Allpa n° 9, Paredes et Sherwood mostram as contradições das práticas atuais de cooperação ao desenvolvimento e apontam uma nova alternativa.

Neste artigo, eles argumentam que a « indústria do desenvolvimento rural » têm promovido dois modelos de desenvolvimento, que são todo os dois baseados num pensamento instrumental de causa-efeito : a « transferência de tecnologia » e o « desenvolvimento participativo », ambos fundados no princípio de « capacitar » os outros, ou seja, os pobres, os produtores, o sul global.

O que deve mudar ? Paredes e Sherwood acreditam que se deve buscar uma maior coerência entre todos os aspectos da vida quotidiana. Com a proposta de Desenvolvimento 3.0, eles defendem a ideia de (co)construir a mudança social a partir da escala familiar e incluindo « todos os que comem », que venham do setor rural ou urbano, que sejam práticos ou especialistas, do norte ou do sul.

Para ter acesso ao documento

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

82 − 81 =